terça-feira, 20 de julho de 2010

MULHERES EM LUTA

Mulheres Em Luta
Por Nando Poeta

As cento e vinte e nove
Mulheres da tecelagem
Lutando por seus direitos
Mostrando muita coragem
Morreram carbonizadas,
Numa ação muito selvagem.

Foi no século dezenove
O ano cinqüenta e sete
Na famosa Nova York
A qual por dever compete
Pra todas essas mulheres
Com força jogar confete.

Mulheres em passeata
Queriam melhor salário
A greve fortalecida
Contra patrão salafrário
Reduzir sua jornada
Aumenta o tempo diário.

Reunidas lá na fábrica
Mulheres surpreendidas
Com a tranca dos portões
E de sair, proibidas,
A correria foi grande
Queimadas foram com vidas.

Operárias heroínas
São têxteis na produção
Sua luta continua
Pra ter direito ao pão
O seu exemplo de fibra
Faz crescer a união.

Mil novecentos e dez
No país da Dinamarca
Clara Zetkin propõe
Dia oito ter a marca
Da luta dessas mulheres
Pra não afundar a barca.

O dia oito de março
De muita denuncia e luta
Contra opressão e machismo
Emancipar quem labuta
Mulheres em movimento
O seu espaço disputa.

Com muita ação e coragem
A mulher sai para a rua
Denunciar, protestar
É bandeira minha e tua
Lutar por nossos direitos
E não ficar só na sua.

No dia internacional
De luta pela mulher
Hoje o movimento delas
Metendo dentro a colher
Nas políticas dos governos
Que mudança não quer!

Capitalismo utiliza
Da opressão e má fé
Explora através do sexo
Salário pago é chulé
Além da tripla jornada
Ainda dá pontapé.
.
Pois a força de trabalho
Teve a feminização
Praticamente a metade
É parte da produção
Mulheres, a sua força,
Sofre mais exploração.

No trabalho o salário
É pequeno que até some
Mesmo com igual função
É pagamento de fome
Mão-de-obra feminina
O capital já consome.

As mulheres engrossaram
O trabalho informal
Ganham menos que o homem
Quando a tarefa igual
Lutar por mesmo direito
Pra questão salarial.

Homens e mulheres têm
Trabalho de igual valor
No labor a sua força
Desprende o mesmo calor
Remunerar diferente
Divide o trabalhador.

Propaga-se pelo mundo
O fim da desigualdade
Entre os sexos opostos
Jura existir igualdade
Mas explorar, oprimir
Do capital é verdade.

O capital não criou
Machismo e opressão
Apenas lhe absorve
Lucrando para o patrão
Impondo a desigualdade
Faz surgir à exploração.

A mulher para o trabalho
Tem acesso desigual
A violência doméstica
E o assédio sexual
A pretensa igualdade
É farsa do capital.

Mulheres pobres e negras
Situação agravante
Salários mais rebaixados
De uma vida gritante
O machismo e o racismo,
No capital é marcante.

A realidade dela:
Opressão e violência
Pois tem a tripla jornada
Mostrando ter competência
Trabalho,filhos e casa,
Faz parte da penitência.

Maus tratos, ataques físicos,
Violência declarada
Pancadas, humilhações,
Calúnia, estupro e piada
Entre socos e pontapés
Assassinato e cantada.

As mulheres continuam
Mais vitimas da opressão
O machismo é o instrumento
Acentua exploração
Tratada como objeto
Igual na escravidão.

A opressão é tão grande
Que muitas sofrem caladas
A cada quatro minutos
Mulheres são espancadas
E nesse largo Brasil,
Milhares assassinadas.

Pra opressão e machismo
O combate é cotidiano
Bem como a homofobia
Destruir é nosso plano
O feminismo e classismo
Fortalecer sem engano.

A cada quinze segundos
Uma mulher espancada
Na violência mundana
Tem uma sendo estuprada
Saindo fora de casa
No trabalho, assediada.

Não basta só ser mulher
Na luta contra a opressão
Porque o capitalismo
Incentiva a divisão
A mulher trabalhadora
Vencerá com união.

Os homens e as mulheres
Buscam emancipação
E combater o tal machismo
É a grande solução
E pelo socialismo,
Avançarmos nessa ação.

A mulher em luta briga
Por emprego e moradia
Creches, saúde, salário
Respeito no dia-a-dia
Legalizar o aborto
Não é uma covardia.

Pois um milhão de abortos
São feitos nesse Brasil
De forma tão clandestina
Cento e cinqüenta mil
Morrem e deixam seqüelas
E um resultado hostil.

A violência à mulher
Terá que ter o seu fim
Legalizando o aborto
Pra mulher não é ruim
O direito assegurado
Terá vitória assim.

Legalizar o aborto
É pura necessidade
A quarta causa de morte
É grande a insanidade
E descriminalizá-lo,
Deve ser prioridade.

Pois mulher quando faz
Um aborto mais seguro
Não pode ser criminosa
Está prevendo o futuro
De que o direito a vida
Não é viver em apuro.

Criminalizar mulheres
Por exercer o direito
De decidir sobre o corpo
Com o que lhe diz respeito
O crime é do Estado
Que não responde esse feito.

Garante a vida à mulher
Aborto legal, seguro
Se for feito clandestino
A vida terá um furo
Direito a saúde pública
Estado saia do muro.

Mulheres vão decidir
Sua sexualidade
Intervir nesse direito
É fazer grande maldade
Pois é dever do Estado,
Serviço de qualidade.

A campanha da igreja
Do governo, da direita
É muito reacionária
Fazendo total desfeita
O “Brasil sem o aborto”
A mulher não se respeita.

Meio milhão de mulheres
No mundo a cada ano
A cada dia quinhentas
Morrem ensopando pano
Com aborto clandestino
Mulheres vão pelo cano.

Em clínicas bem luxuosas
Ricas têm a liberdade
Respaldo psicológico
Conforto e tranquilidade
Pra trabalhadora e pobre
Resta a mortalidade.

Libertar nossas mulheres
Da mera reprodução
A classe trabalhadora
Escrava da produção
Será sempre oprimida
Se não levantar do chão.

Lutar contra os governos
E o inimigo de classe
Que alimenta a violência
Vivendo nesse impasse
Mulheres independentes
Não darão a outra face.

Mulher Em Luta buscando
A sua libertação
Marchando bem resolvidas
Buscando mais proteção
Querem já os seus direitos
Pra ter emancipação.

Violência trabalhista
Sofremos diariamente
É física, psicológica
Afetando a nossa mente
Na política, economia,
O ataque é evidente.

Os maltratos e abusos
Do sistema é violento
Cuidar da casa e família
É o seu maior tormento
Mulheres mais rebeladas
É o fim do sofrimento.

Só do machismo existir
Já expressa decadência
De um sistema malvisto
E onde a incompetência
De uma moral machista
Ferindo sua existência.

Movimento de mulheres
Com forte apelo classista
Marchando Mundialmente
Sem ter cunho governista
Contra governos tiranos
Virá onda feminista.

Mulher Em Luta é força
É guerra contra a opressão
Reunindo as oprimidas
Contra toda exploração
E que toda a mudança
Nasce da revolução.

O feminismo burguês
Banhado de reformista
Não terá a conseqüência
De barrar onda machista
Faz parte do capital
Oprime a perder a vista.

Nessa luta feminista
Existem várias matizes
A proletária e burguesa
Têm diferentes raízes
Mulheres trabalhadoras
No classismo são felizes.

Deve as mulheres unir-se
Com o proletariado
E somar as suas forças,
Pra o homem lutar do lado,
Machismo divide a classe
E oprime o explorado.

Mulher Em todas as Lutas
Resistindo à opressão
A conquista de direitos
Sempre foi pela ação
Reduzir fruto da luta
É pura submissão.

Mulher Em Luta na frente
O movimento classista
Não abre mão de direitos
De bandeira feminista
Unidas num ideal
Em busca de mais conquista.

Em uma luta classista,
E o movimento florindo
Mulheres e muitos homens
Unidos vão resistindo
No combate ao machismo
Alternativa surgindo.

Resgatando a tradição
Da mulher trabalhadora
Buscar o socialismo
É ação libertadora
Destruindo a opressão
Abaixo lei repressora!

Nossas mulheres em luta
Em uma mesma fileira
O socialismo combate
Todo tipo de cegueira
A opressão secular
Terá uma morte ligeira.

Libertação das mulheres
Bane a submissão
Em movimento de luta
Nessa longa construção
Independência de classe
Em prol da revolução.

Nada mais justo que tenha,
A data comemorada
Não deve ser só um dia.
Dessa luta tão pesada
O homem, mulher unidos
Por uma forte jornada.

Um comentário:

  1. MULHERES FORTES LONGE DE homens CHUPINS VIOLENTOS
    http://pravocemulheratual.blogspot.com
    Livre-se de sofrimentos domésticos e inter-relacionais, porque haverá sempre algo melhor fora dali!"
    Acesse o Blog e reflita!
    --------------------------------
    As perguntas(com respostas) que todo fazem sobre violência contra a mulher, doméstica e intra familiar!
    Olá, tudo bem?!
    Realizei uma entrevista com uma colaboradora do Blog e trago agora pra você as perguntas "mais cabeludas" sobre violência contra a mulher, intra-familiar e doméstica.
    Todo mês entrevistarei algum(a) especialista. Esta entrevista é parte do link sobre perguntas e respostas que criei para um melhor esclarescimento sobre o assunto.
    http://pravocemulheratual.blogspot.com/p/perguntas-e-mais-perguntas.html
    Perguntas como este estão respondidas, confira!
    1.O cara que bate em mulher chantageia sempre, por quê?
    2.Por que muitas mulheres inteligentes, independentes ou não, não conseguem largar este lixos? O que ocorre?
    3.Dá pra evitar ser refém de homem violento?
    4.Como educar meu filho quanto à violência doméstica?
    5.Como educar minha filha quanto à violência doméstica?
    6.Que tipo de orientação a mãe (evangélica/cristã) deve dar à filha quanto à violência doméstica e submissão?
    7.Que tipo de orientação a mãe (evangélica/cristã) deve dar ao filho quanto à violência doméstica e submissão feminina?
    8.Ele pode ser alguém que grita, mas não bate?
    9.Se eu apanho do meu pai, aprendo que posso apanhar de homem?
    10.Se eu apanho da minha mãe, serei um espancador de mulheres?
    http://pravocemulheratual.blogspot.com/p/perguntas-e-mais-perguntas.html

    Veja também TUDO SOBRE "Violência Moral, Verbal e Física contra a Mulher"
    http://pravocemulheratual.blogspot.com/p/violencia-verbal-e-fisica-contra-mulher.html

    ResponderExcluir